quarta-feira, 22 de julho de 2009

Real Bikers



Já vi esse filme antes.

Uns se apregoando soul-surfers, reclamando dos haoles. Que antes do surf virar moda era bem melhor, não tinha tanto haole entupindo o pico, de como tudo acabou sendo vendido. Que soul-surfer é casca grossa, cai de monoquilha, pranchão, gun e viaja todo ano pro Peru de mochila nas costas... Isso nos anos 80, quando tinha programa de televisão, novela, surfshop em Belo Horizonte... Em geral quem mais reclamava eram os que mal haviam subido no ônibus...

Pane seca.

Tava voltando da Barra pra oficina, e na Salvador Allende, perto do Rio Centro, acabou a gasolina. Mole bobo, a última vez que tive que abrir a reserva tava meio doidão quando parei no posto, e acabei esquecendo de fechá-la. Aí, nesse dia, contando que a reserva me tiraria de um sufoco, quando fui abrir dei de cara com o tanque sem uma gotinha...

Um lugar nem tão sinistro numa cidade como o Rio, mas à noite, poucos lugares podem ser considerados seguros em nossa Malboro.

Celular na mão: "-Barretão, dá uma corrida num posto e enche uma garrafa pra me tirar dessa".
Barretão já saindo...

Param dois motoboys.

"-Que houve?"

Expliquei.

"-Monta aê que te empurro."

"-Essa porra é pesada, já tá vindo ajuda."

"-Vambora, monta aê."

Um atrás piscando contendo o tráfego e outro com o pé na pedaleira do garupa empurrando, trocando de posição quando o pé cansava, me empurraram até o posto, uns 3 km à frente, no transito das 7 da noite.

Algo muito comum antigamente, moto nunca ficava em apuros na beira da estrada. Hoje o risco grande faz com que a prática nem seja tão constante assim.

Real Biker hoje é motoboy. Que sabe o que é ficar na roubada, te ajuda e só pede em troca que você passe adiante a ajuda quando ver alguem em apuros.

Do resto, 99% é haole.

7 comentários:

Cara de Mau disse...

é estranho ..

indo pra cabo frio, pro tubarões, me deparei com um acidente, era recente, sem ambulância ou qq outra coisa.. somente uma 1100 tombada e um caboclo virado na sarjeta mais uns poucos que pararam para ajudar..

Parei estava em 2 125, a garupa do meu parceiro é enfermeira e com muita experiência tratou de tranquilizar o acidentado, ja eu fiz o que pude tentando organizar o transito..

mas o que me intrigou foi que o fluxo de motos passando era enorme e só parava sem escudos...

inclusive vi que um amigo meu passou, me viu e não parou.. depois já no evento ele veio falar que estava rápido demais para parar e ver se era eu que precisava de ajuda..

lamentável

fred disse...

Eu tenho uma Sportster e já saí de sufoco com ajuda de motoboys também...

É por isso que eu tenho problemas com "certas comunidades" no Orkut de "real bikers", onde predomina o preconceito contra essa classe. Inclusive por parte de motociclistas da velha guarda.

Motivo: "eles aumentam o valor do seguro do meu brinquedinho" ... Ora, faça-me o favor!!

Hoje em dia eu prefiro que me chamem de motoqueiro ao invés de motociclista.. É a classe dos motociclistas que me envergonha...

ps: Parabéns pelo Blog ...

sakai disse...

Foi um cgzeiro que me pegou numa borracharia na beira da Dutra perto de Aparecida com um pneu rasgado (que quase me matou) e me levou em umas três cidades vizinhas atrás dum pneu aro 15 pra uma moto importada. Ralou paca, mas não encontramos e acabou indo um pneu velho de fusca nela pra chegar até São Paulo.

Pergunte quantos "easyriders" passaram batido...

Carlos Ábila disse...

Vcs podem não acreditarem mas chorei com a matéria.Eu tive o prazer de curtir um tempo em que se carregava ferramentas para ajudar os outros, fiz isso muitas vezes e fui ajudado muitas também mas infelizmente acabou!

Lobo disse...

Já me tiraram de sufoco, pane seca também, e já tive oportunidade de retribuir uma vez num acidente.

Faço coro ao Fred, nunca gostei do termo motociclista, acho de uma arrogância difícil de digerir.

Daniel disse...

Já fiquei parado também, tarde da noite, e só quem parou pra me ajudar foi um cgzeiro.

Fico puto com essas côxas que só querem ser chamados de motociclistas.

Eu sou motoqueiro mesmo e que se foda.

batata disse...

Hoje em dia eu prefiro que me chamem de motoqueiro ao invés de motociclista [2]


sempre achei esse discurso que motoqueiro não, motociclista... muita boiolice

chega esse negocio de motociclista

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...