segunda-feira, 26 de julho de 2010

Enjoy The Ride




Eu peguei onda minha vida toda.

Comecei bem cedo, na faixa dos 8, 9 anos. Aos 12, 13 optei por largar a prancha e praticar o Bodysurf (um nome bonito pro que chamamos de pegar jacaré). Mandei bem trocar uma Bocão & Betão mono 7’ por um par de pés de pato, já que meu meio de transporte (que depois se tornou tão importante pra mim) acabou sendo uma moto, e carregar aquele cachorrão ia ser foda...

Mas eu era muito fissurado mesmo. Acreditava (como acredito) na Arte. Viajei pacaraio, todo ano, toda minha grana era investida em viagens. Hawaii, Peru, Noronha, costa brasileira de cabo a rabo, viajei muito. Convivi com todo tipo de fauna que habita o litoral do mundo. De Black Trunks no Hawaii a traficantes peruanos. De filhinhos de papai do Guarujá a favelados da Rocinha no Pepino. Tenho orgulho de ter feito amigos em quase todo lugar que passei.




Os personagens se repetem, e quando comecei a levar mais a sério esse negocio de andar de moto, dei de cara com as mesmas figuras com quem convivi no surf. O Master Shaper virou o Mecânico Mágico, o Big Rider virou o Biker, o Prego virou o Coxinha, e por aí vai. Mesmos personagens, roteiros um pouquinho diferentes.



Uma atividade fantástica como andar de moto (assim como pegar onda) vai atrair todo tipo de gente. Alguns vão pular de cabeça na atividade, mudar sua vida. Alguns vão curtir a modinha por um tempo e pular pra próxima onda. Alguns vão criar coisas interessantes. Alguns vão copiar. Alguns vão se esforçar demais, outros apenas passar momentos divertidos.


Muita gente gosta de moto, muita gente sempre gostou. Muita gente começou a se interessar nos últimos anos. Cada um tem sua interpretação do que é importante, como se portar, como quer que os outros o vejam. Qual personagem quer interpretar.


Bobagem alguém tentar apontar quem está certo e quem está errado. É uma viagem diferente pra cada tipo diferente de pessoa. E é por isso que é interessante.


Nada do que você fizer é novidade. Toda vez que você achar que descobriu a pólvora, pesquisa um pouco mais que vai encontrar uma pólvora igualzinha, provavelmente numa versão mais elaborada e apurada, criada séculos atrás.


O que não existia antes, e isso sim é novidade, é a fantástica Comunidade Global que a Internet trouxe.


Quando a gente manda uma camiseta da LoM pra Noruega, e vê que o cara lá tem tanta afinidade com a gente quanto um cara que mora a uma quadra de casa, pode entender de duas maneiras: está tudo tão pasteurizado que as figuras se repetem, o acesso a informação está gerando clones espalhados pelo mundo, pensando igual, agindo igual, robôs manipulados por um Grande Irmão. A humanidade se uniformiza.

Ou pode interpretar que pessoas com interesses semelhantes, espalhadas por todo esse Mundão De Meu Deus, podem finalmente interagir. LONERS AND DREAMERS finalmente se unem!!!
Sei que não falta “velha-guarda-tradicionalista-no-meu-tempo-é-que-era-certo” reclamando da facilidade de acesso a informações, que acaba por permitir a entrada de paraquedistas em qualquer atividade. Normal, o Tempo é um filtro que faz as lembranças em sua maioria parecerem mais importantes do que realmente foram os fatos.

Prefiro acreditar que a fila anda, o mundo evolui, e o saudosismo deve ser uma maneira de ensinar aos recém chegados os parâmetros do que já foi testado, e não uma maneira de menosprezar as “descobertas” deles.

O melhor momento é agora. Mas o próximo deve ser ainda melhor. O destino é desculpa, a viagem é que é o objetivo.

Freedom is right ahead. Enjoy the ride.

7 comentários:

Unknown disse...

sabias palavras "campeón"... un abrazo desde Barna

HARLYSTAS - RIO GRANDE DO SUL disse...

Cara tu és fodástico ! Um grande abraço REI harlystas RS

Unknown disse...

Bobagem alguém tentar apontar quem está certo e quem está errado. É uma viagem diferente pra cada tipo diferente de pessoa. E isso é o que torna mais interessante.


Lord você é um poeta.

Enfim.

Concordo com você.

Agora, só acho que quando um "novato" entra em um "mundo" ele tem que antes de mais nada tentar entender aquela cultura para não acabar desrespeitando alguem.

Eu pelo menos sou assim.

Sempre que viajo para fora estudo sobre aquele pais.

Porque afinal de contas quem mora naquela lugar é o cara eu to ali de passagem.

O que me deixa puto e me faz nao falar com os lixos é a falta de respeito. não só comigo, mas com a história toda do motociclismo.

Coxa ou não.

O cara que acha que é o true-old-beer-jack daniel's-power ranger do mundo biker.

Carlos Ábila disse...

Me ajoelho e digo: AMÉM!!!!

Unknown disse...

Bro, concordo com vc

tem muito novato que rapidinho se enquadra, mesmo do seu jeito. Isso pq vem com respeito

mas a merda ta aí. Tem uma galera, em maior quantidade que antigamente, que se "acha" so pq comprou uma moto.

Infelizmente o erro ta aí, pois nem nós, os velhos estradeiros de 20 anos, nos achamos "merda alguma", pq um bosta de 22 anos se acha o BIKER so pq comprou uma HD

q venha o novo, but "respect the ol' skool"

abs

wolfmann disse...

rodei muitos anos sozinho porque os amigos que me seguiam e me permitiam segui-los partiram para uma jornada que ainda se iniciou para mim.

Voltei a rodar com amigos após a compra da Fat Boy, há apenas quatro anos, e parece que nunca deixei de pertencer a essa comunidade.

Viver e respeitar para ser respeitado é a melhor filosofia em qualquer situação.

Encontrar pessoas com as mesmas afinidades depende fundamentalmente de não fechar os olhos e olhar sem preconceito para todos os lados.

Viver é divertido, se você tiver humildade para aprender e ensinar.

Rômulo disse...

Muito bom. Como você disse que pode copiar, copiei, mantendo a autoria.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...