terça-feira, 13 de dezembro de 2011

The Dark Side




"Uma vez que caminhar você pelo lado negro, para sempre dominar vai o seu destino."

Mestre Yoda
(há muito tempo atrás)

Acho que virei motoqueiro no dia que ouvi essa frase, o filme era Guerra nas Estrelas, no filme até tinham umas motinhos bem bacanas que iam flutuando, e nem eram a dos mocinhos, eram as motocas flutuantes dos bandidos, que faziam um barulhinho de mobilette elétrica... Só detalhes que ficaram guardados no inconsciente e por acaso me lembrei hoje...

Mas nesse dia eu nem sabia que viria um dia a ser motoqueiro, eu era bem criança quando vi esse filme pela primeira vez e nem pensava em tirar a carteira e muito menos ter uma moto.

"Sem Destino" com Peter Fonda só fui ver quando o filme era um "clássico das antigas", mas eu já estava crescido, na verdade esse filme só aumentou minha vontade de ter uma HD, mas não foi o que me fez começar a gostar disso.

Sempre houveram histórias de Harleys e de Indians em minha família , eram só histórias de viagens de meu tio, mas mal sabia o que essas histórias iriam fazer com a minha personalidade quando eu fosse adulto. Essas sim foram a primeiras chamas do que eu viria a ser anos depois. Foram essas histórias que me fizeram ver a beleza de um tanque de gasolina em forma de gota e achar isso bem mais bonito que um tanque de plástico todo modelado para encaixar os joelhos...

Aí um dia, já com mais de 18 anos, comprei minha primeira moto "de verdade", uma duzentoscinquenta, japonesa, claro que era uma custom, porém japonesa, isso pra todos aqueles que acham que eu nunca andei de japonesa, andei sim, e são boas, curti muito essas motos, com essa primeira coloquei uma mochila nas costas e rodei uns 10.000km de uma tacada só, sai do Rio e fui parar lá no meio da Argentina, posso até dizer que foi das melhores viagens que fiz, só dou um desconto porque foi a primeira vez que fiz mais de vinte quilometros em uma estrada, e fiz logo dez mil, então tudo era novidade, e a primeira a gente nunca esquece...

Era uma Yamaha, mas acabei vendendo algum tempo depois, pra comprar uma maior, de 500cc, uma Kawasaki, obviamente era uma custom também, enfim, eu aprendi a tocar moto com os pés para frente, pra mim era natural, minha primeira coisa parecida com uma motoca tinha sido uma Vespa italiana e na Vespa eu colocava os pés lá na frente, assim já ia acostumando pra quando eu comprasse minha Harley daqui há uns cinquenta anos!

Mas nem demorou tanto, depois da Kawasaki chegou minha vez, fiz um puta negócio: vendi aquela moto, terminei com a namorada com a qual ia casar, peguei o dinheiro que ia dar de entrada pro apê do casório e comprei a Sportster... Simples assim. Da Sportster pra cá rolaram várias Harleys...

Mas daí me lembrei do filme e do Mestre Yoda.

"Uma vez que você caminhar pelo lado escuro da força, vai dominar o seu destino para sempre."

Não é que eu seja preconceituoso com motos japonesas, são ótimas motos, é que eu já estou no lado negro há muito tempo, e não tem mais volta!

E garanto aos Jedis com suas japonesas neon, aqui, no lado negro, é bem mais divertido...

Tem coragem de vir para o lado negro?

Abs,

Big Chopper de la Frontera
fronterahd@gmail.com

15 comentários:

Lobo disse...

Como sempre, do caralho o texto.

Vocesabequemé disse...

Só não pode andar de BMW.... Hahahaha

chopperman84 disse...

Amen meu irmao!!! Amen!!!

Anônimo disse...

Ir para o lado negro é muito facil,
dificil é aguentar o custo da quebradeira hahahhaha

Lord Of Motors disse...

"Luke, I'm your father"...

Lobo disse...

Aposto que o "Clone Wars" não foi à toa, rs...

chopperman84 disse...

É muito para alem da questao de aguentar a quebradeira...

Se vou ter de explicar, muito provavelmente nunca vais entender a resposta...

karuna disse...

"Luke, I'm your father"...
hahahahahahahahahaahah!!!!!

Cara, antes de acabar o texto, eu pensei que tu ia dizer que estava na Luz.... hahahahahahah!!!!!

Sua próxima praga é andar de BMW.... hahahahah!!!!

Anônimo disse...

Mais vale ter uma Harley quebrada do que uma genérica andando...

Anônimo disse...

Chopperman84 é muito provavel que voce não entenda, se eu que já tive Harley há 40 anos, e olha que não foram menos de 5 ainda não entendi,
depois de passar por inumeras marcas, motos e estilos ainda prefiro uma unica Norton.

Anônimo disse...

Anonimo voce acha mesmo que mais vale a pena ficar batendo uma bronha pra uma Harley do que pegar uma estrada? hahahahhaah Rider de bosta!

Sady disse...

A Harley quebra na estrada...A genérica anda até a padosa.Dois pesos.

Bill Custom Motorcycles disse...

Sady Padoca vc quis dizer? creio que anda mais um pouco depende do motociclista ou do motoqueiro, a ideia principal não, acho eu, é o meio e sim a finalidade, uma Harley se bem mantida te levará até o fim do mundo tão como uma S70 ou uma RX80 depende do piloto, a alma é que não pode ser pequena... eu já rodei com muitas motos e que chegaram comigo até onde os mais crentes duvidavam, o que mais acontece é que a maioria fala sem ter vivido e este tipo de experiencia pra mim nada vale, de viraguinho, de gold wing ou de Shovel o que vale é o vento na cara e o role pelo mundo... abço Bill

Sady disse...

Acho que talvez eu não entenda muito bem essa coisa de ser Biker então, acho que eu entendo um pouco mais é de paixão, acho que foi assim que eu interpretei o tal lado negro da força.Por que também não entendo alguém pagar mais de 15mil reais numa genérica.Talvez esse valor não compre uma Harley, mas compre uma demanda.Compra uma boa dor de cabeça em montar uma.Pelo menos foi assim que eu aprendi, mas bem...Cada um tem suas doutrinas.

Bill Custom Motorcycles disse...

Sady entendo sua forma de pensar, é que paixão pra mim sempre foi um pouco mais abrangente, do tipo que tem ignição, gasolina, fede a oleo e graxa velha, não consigo muito me apegar a marca e sim a ferrugem, é dificil explicar, mas eu gosto de por pra rodar tudo o que um dia teve o proposito de locomoção, entendo o estilo biker de ser, no entanto o lado negro, pelo menos pra mim envolve o lado da restauração e personalização, quanto a gastar um valor e depois investir mais o dobro na mesma moto não quer dizer que se deseja ter uma Harley é simplesmente o gosto em customizar e isso para muitos não significa comprar uma dor de cabeça, é so um prazer, o que eu aprendi é que o absoluto encurta a visão, talvez o mais próximo que o absolutismo permita enxergar seja a ponta do proprio nariz, talvez genérica seja uma forma muito promiscua para denominar uma historia inteira do motociclismo e consequentemente seus adeptos, muitos desses herois, por conta de um genero ou marca que também teve seus dias de gloria mas que hoje, assim como as "genericas" é fabricada com peças chinesas, enfim tudo não se resume muito em uma unica "paixão", o historico vai muito mais além...
Abço Bill

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...