quarta-feira, 30 de novembro de 2011

GARAGE SALE GLOBAL - Zeca Urubu no Programa do Jô



É HOJE.

Depois do RJTV e Jornal da Globo, chegou a vez do Jô Soares entrevistar, nesta quarta-feira, dia 30 de novembro, o Zeca Urubu.

Para aqueles que não sabem, Zeca Urubu é o dono do Heavy Duty Beer Club, bar que irá sediar pela segunda vez nosso Garage Sale.

Figurinha tarimbada no meio motociclístico carioca, não é de hoje que Zeca se orgulha de ter o pior atendimento garantido. O bar Heavy Duty existe há 14 anos e é um conhecido ponto de encontro do público underground carioca, que apesar de ser constantemente mal tratado, reconhece o local como sendo sua segunda casa.

Não é agora que o Zeca Urubu e o Heavy Duty se tornaram globais que você vai ficar de fora do Garage Sale né?

Abaixo, as máterias divulgadas no RJTV e no Jornal da Globo:





GARAGE SALE NO SÁBADO PORRAAAAAAAAAAAAA...

Esperamos vocês lá.

OS CARBURADORES









ELES ESTARÃO NO GARAGE SALE, E VC?

When cars were built to last






Artwork by Stefanie Aziere-Sattler

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Previsão do tempo para Sábado 03/12



Sol com algumas nuvens.

PERFEITO PRO GARAGE SALE!!!


Ta todo mundo vindo! E você?

Código Florestal Brasileiro

Pra quem lê jornal, estão enchendo o saco com o tal "código florestal", acho que nenhum país no mundo tem leis tão rígidas quanto ao meio-ambiente como o Brasil, e isso é no mínimo estranho, eu tenho essas paranóias de conspiração e acabo achando que é um conluio de "agentes" de ONGs de países desenvolvidos que não querem que o Brasil continue crescendo no agronegócio e tentam barrar o crescimento de terras "plantaveis" no nosso país, vão diminuir as cabeças de gado, as plantações de cana, de soja, feijão, arroz, etc...

Daqui a pouco vai ser proibido varrer as folhas do jardim! É PRISÃO!!! CRIMINOSO!!!

Enfim, eu acho, na verdade, tudo isso um monte de bobagem, e como vocês acham que tudo o que eu acabei de escrever não tem nada a ver com o LoM, segue abaixo minha contribuição para a nova Lei Florestal:


Abs,

Big Chopper de la Frontera
fronterahd@gmail.com

Evil Twin by Artic Monkeys



Keep the rubber side down




You are doing it wrong...

ARQUIVO DO LEITOR: Estradas Brasileiras

Foto do Daniel Carioca na D. Pedro I em SP em setembro deste ano, voltando de Ribeirão Preto, aliás faço muito essa estrada também e sempre curto o visual dela!


E por coincidência eu também estava nessa estrada em setembro, voltando de Ribeirão, de um dos melhores eventos de Harley do Brasil! hehe

Um abs,

Big Chopper de la Frontera
fronterahd@gmail.com

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Monday Motto



Tattoos make me horny...



Here We Go



Minha idéia é fornecer uma "tela em branco" (ou em preto). Quem quiser customizar, customiza. Quem quiser só usar, também pode. É capacete sem frescura, pro dia a dia. Acabamento excelente, veste bem.

Mais confortável só sem capacete.

Branco com inteior vermelho
Branco com interior preto
Preto com interor vermelho
Preto com interior preto

Tamanho Cabeça Normal: 56~59

Tamanho Cabeção: 60~63

R$290,00.

Frete R$20,00 para todo Brasil, por PAC.

Clique em "Cheap Choppers by Lord" na barra da direita e veja as cores e tamanhos.


PERFORMANCE: Passando 200 - Numero Mágico

Velocimetro de Evolution é uma merda, os últimos modelos (até 1999), já eram meio eletrônicos e já mediam a caixa de marchas, e mesmo assim eram péssimos, davam erros de até 10%, agora imaginem o de uma Evo 1993, a cabo, engatado no eixo da roda da frente, E EM MILHAS POR HORA!

Aí há uns anos atrás preparei o motor da minha Springer, fiz umas brincadeiras nele, coisa leve, nada pensando em tirar a máxima potência, mas foi tudo pensado para tirar a máxima potência sem comprometer nem um quilômetro de vida útil do motor, e é isso que eu tenho, um motor "divertido" porém extremamente confiável.

Mas por culpa desse velocimetro dos infernos nunca consegui saber quanto dava na final, já vi a agulha passar bem longe depois do último valor do velocimetro (120mph ou uns 192km/h), mas nunca consegui confiar nisso, ele vai "pulando" até os 120mph, aí volta pros 80mph aí pula de novo pros 110mph, ai vai pro talo, aí volta, pensa uma coisa muito esquisita!

Mas o fato é que eu divido as Harleys em duas categorias, as "OVER 200" e o resto, só considero Harleys boas as que passam dos 200km/h. As outras pra mim são stock. Qualquer coisa bem feita em uma Big Twin, mesmo uma preparação leve, se bem pensada, consegue fazer isso. O resto é enfeite. Mas vamos deixar claro, de nenhuma maneira fico andando ou quero uma Harley para andar a 200km/h por aí, se fiz isso três ou quatro vezes foi muito, mas esse número me diz muito, é meu "dinamometro" empírico, consigo saber a potência de uma HD se ela chegar aos duzentos.

É física, matemática, não tem erro, eu preciso de "X" cavalos para colocar 300kg com uma dada resistência aerodinâmica aos 200km/h.

A maioria das Big Twins (menos as tourings) tem aproximadamente 300kg e aproximadamente a mesma resistência aerodinamica, com isso eu sei que a 200km/h elas terão uma potência similar, um pouco mais,  um pouco menos, mas será uma potência aceitável. Uma BT que chega aos 200km/h (de velocimetro) é uma moto que certamente tem um comportamento bem bacana em baixas velocidades ou em uma arrancada saíndo do sinal.

O que muita gente não sabe é que para ganhar 10km/h de velocidade final, digamos, para fazer uma moto que só chega aos 180km/h de final, chegar aos 190km/h, precisaremos de MUITO MAIS POTÊNCIA do que a MoCo. entrega de fábrica.

Pra vocês terem uma noção, uma HD, andando a 110km/h, usa aproximadamente 30cv, logo vocês pensariam que com 60cv poderiamos andar a 220km/h certo?

Errado.

Essa mesma moto que usa 30cv para andar a 110km/h precisará de uns 130cv para andar a 220km/h, são 100cv de diferença!!! E para andar nos 200km/h serão necessários uns 90~100cv.

Ou seja, para passar de 200km/h para 220km/h (só 20km/h de diferença) vou precisar ganhar quase 40cv no motor!!! E quanto maior a velocidade final, pior fica essa diferença em potência. É o que em engenharia chamamos de "curva exponencial dos infernos" (Na verdade curva quadrática dos infernos).

Mas sem querer complicar, eu sei que HDs que conseguem chegar a 200km/h são respeitáveis, pra mim esse é o número mágico, além de ser um número bonito e difícil de se ver no velocimetro, eu sei que as Harleys com essa velocidade estão perto ou com mais de 90~100cv.

Então hoje (sexta-feira) voltando do almoço pro trabalho decidi colocar um velocimetro de GPS agarrado no guidon da Springer e fui até um retão tentar dar uma esticada de leve, se passasse dos 190km/h reais estava de bom tamanho, é o equivalente a 200km/h de um velocimetro padrão.

A MOTO


Essa é a motoca, uma Springer original Evolution 1340cc, comando de válvulas, carburador Mikuni HSR42, cabeçotes levemente taxados e dutos de escape trabalhados (Aliás, VALEU PAULINHO!)

O VELOCIMETRO


Esse é o velocimetro maluco! Que nunca me diz direito a que velocidade estou! E quando diz, é em inglês.

O GPS


Fiquei satisfeito com o que vi no GPS, 191km/h reais, se fosse um velocimetro bem calibrado, de uma Twincam por exemplo, com 5% de erro e em português, marcaria algo mais de 200km/h! (191km/h + 5% = 201km/h). E teria passado mais se tivesse mais reta ou mais segurança pra fazer isso, não aconselho que façam isso por aí, fiz isso num momento em que não havia ninguém na estrada e quando vi um caminhão ao longe já diminuí o ritmo.

Se quiserem testar pra valer façam em um lugar adequado. O dia que eu puder fazer esse teste direito numa pista fechada, posto o resultado aqui, acredito que deve chegar nos 195~200km/h reais no GPS (ou uns 205~210km/h de velocimetro padrão).

Enfim, é isso.

PS: Ahhh e para os incrédulos, a Springer nessa velocidade NÃO SHIMA! Só que perdi todas minhas obturações, de resto ela foi retinha e tranquila!

Abs,

Big Chopper de la Frontera
fronterahd@gmail.com

Anthrax, ham radio, and liquor



domingo, 27 de novembro de 2011

Fala, Caveira.




Era um hotelzinho no alto de uma colina. Um hotelzinho amarelo, desbotado, descascado. Um dia foi um hotel razoável. Mas acompanhou a decadência da cidade. E hoje era um desses hoteizinhos fuleiros. Do tipo que eu estava mais que acostumado.

Era tarde da noite. Na última parada pra abastecer, perto da entrada da cidadezinha decadente, tomei duas doses de rabo-de-galo. Enchi a garrafinha com mais uma meia dúzia de doses, e guardei no bolso da jaqueta. Aos poucos vim mamando a garrafinha. Pra esquentar.

Resultado: bêbado, de madrugada, chegando com a Shovel barulhenta no hotel decadente da cidade decadente.

Bêbado, com frio, esmurrando a porta do hotel.

Eu estava lá para um desses eventos de moto de cidadezinha do interior. Desses que as cidades decadentes realizam, numa tentativa vã de um novo prefeito de renovar o turismo da cidade.

O atendente finalmente me leva pro meu quarto. Fuleiro, pulguento, com cheiro de mofo. Do tipo que eu estava mais que acostumado.

Apaguei de jaqueta e tudo.

Acordei com a boca seca, fui lavar o rosto e beber água da pia. Gelada e suja. Barrenta, chegava ter cheiro.

“Você sabe onde fica o evento?”

O atendente do hotel não sabia.

Saí andando pela rua. A Shovel estava ali, impávido colosso, na frente do hotel. Dei bom dia pra ela, e saí atrás de uma padaria. Precisava comer alguma coisa. Os rabo de galo ainda estavam fazendo uma rinha perversa no meu estomago vazio.

Uma padoca. Um café e um pão na chapa. Uns cachaças me olhando com cara de curiosos, uma senhora desvia o caminho pra não passar perto de mim. Foda-se, já estou acostumado. “Se a senhora está com medo de mim de roupa, vai surtar se me ver nu.” pensei enquanto sentia o café descendo pela garganta e esquentando o estomago.

“Patrão, sabe onde fica o evento de moto?”

O cara da padaria não sabia.

Os cachaças não sabiam.

Intrigado, volto pra Shovel e pego o mapa. E o prospecto do evento.

“Ô, atendente. Como chama essa cidade?”

“Cudomundópolis” (ou algo semelhante).

Estava lá, no prospecto.

“Encontro Nacional de Motociclistas de Casadocaralhópolis" (ou algo semelhante).

Boa, Caveira.

Em algum ponto da viagem confundi a cidade. O evento ficava a mais ou menos 400km de onde eu estava.

Voltei pra padoca.

“Me vê uma dose desse Conhaque Dreher aí.”

Vamos matar de vez esses galos no estômago. Vai ser uma longa viagem de volta....


W.C.

Garage Sale Dia 03/12



Ta todo mundo vindo.

E você?


Achei outra!

Mais uma demonstração máxima da estupidez humana!

É cada um!

Abs,

Big Chopper de la Frontera
fronterahd@gmail.com

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Grande festa de inauguração da charter BARRA - BALAIOS MC



SÁBADO, DIA 26 DE NOVEMBRO
A PARTIR DAS 11hr.
SEM HORA PRA ACABAR...

The Wall of Death



Helmet Law Still Sucks




Mas ao menos capacetes confortáveis vão ficar mais acessíveis.

Em poucos dias estaremos lançando nossa linha de capacetes.

Leves, confortáveis, excelente qualidade, e com precinho bem camarada.

Aguardem.

PERFORMANCE: Joe Petrali

Esse era "O" cara!


E essa era "A" moto...

1937

Big Chopper de la Frontera
fronterahd@gmail.com

The enemy is at the gate



Aumenta o som.

Uatarrél?


Fiquei pensando que podia ir pro "Helmet Law Sucks", mas sinceramente a moto era bacana demais pra isso.

Abs,

Big Chopper de la Frontera
fronterahd@gmail.com

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Vende o sofá



Todo mundo conhece a história do corno que pega a esposa traindo no sofa e toma uma atitude: vende o sofá.

Nossos legisladores devem fazer liquidações imensas de sofás.

O Bill pediu:

"Velho desculpe usar teu espaço mas é que aqui em sampa ta rolando uma coisa muito chata com relação a um idiota que lançou uma Lei proibindo garupas nas motos durante a semana, além de nos foder os caras ainda querem foder os garupas! então como seu blog tem mais acesso do que o meu peço lhe a gentileza em colaborar divulgando um link de um abaixo assinado para que seja revogada essa merda de lei que o inutil do deputado conseguiu aprovar, mais uma vez desculpe e conto com a ajuda dos irmãos, abraço Bill
Acabei de ler e assinar este abaixo-assinado online:

«Não a Lei que proíbe garupa em motos»

http://www.peticaopublica.com.br/?pi=garupas

Eu concordo com este abaixo-assinado e acho que também concordaras.

Assina o abaixo-assinado aqui http://www.peticaopublica.com.br/?pi=garupas e divulga-o por teus contatos"


Tá feito.

Confesso que acho que é uma daquelas leis inconstitucionais que não pegam, é blablablá ou cortina de fumaça pra alguma outra coisa.

Mas Bill pede, nóis fais.

Faixa Branca



Todo dia a gente aprende alguma coisa.

Hoje, almoçando com meu filho (judoca desde os 4 anos de idade, vai pegar a faixa Laranja este ano, aos 9), aprendi que depois do décimo dan do judô, o praticante pega a faixa vermelha, e por fim, mestre em último grau, pega novamente a faixa branca.

Zen.

Lembrei da minha Garelli.

Bota Mais Foto de Moto Aí, Lord...





Mother of Invention

It Worth

Enfeitemos...



quarta-feira, 23 de novembro de 2011

They're EVERYWHERE!!!




Momento piadinha infame...



Rust in peace...




Acessório de Viagem para Electra

Realmente tem acessório de tudo que é tipo para Harleys!



O acessório custa só US$24.95 e vem para nove tipos de Glocks.

Na verdade, no site tem um monte de "utilidades" e acessórios para nossas baggers fora esse.

http://www.hardbagger.com/

Esse é só um "extra"...

Mas no Brasil não pode!

Abs,

Big Chopper de la Frontera
fronterahd@gmail.com

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Dia 03/12


Escolha seu destino...

Outros tempos...



Sou do tempo em que Escudados não falavam com PPs.

PP pra mim era pó e puta. Itens essenciais que esses aspirantes a alguma coisa deveriam arrumar em qualquer lugar onde eu colocasse as botas.

No meu tempo ou o seu comprometimento com o clube era de 100%, ou então rapa fora mané. Não sei bem ao certo porque raios estou tocando nesse assunto, mas acho que foi a primeira coisa que me veio à cabeça depois que meu sobrinho foi embora e deixou uma tela em branco dizendo: pronto, agora é só digitar e depois clicar em publicar.

Mais cedo estava mexendo na bicuda e comecei a ler as manchetes do jornal sujo de óleo que estava no chão. Nada que preste, como sempre. Mas descobri que em SP tem neguinho quebrando faculdade pra poder fumar bagulho. Eita geração de merda essa, acho que eles não entenderam o espírito da coisa.

Já cagado de óleo, resolvi apertar um e ficar ali, sentado no chão e pensando na vida. Lembrei de uma vez em que ainda era PP e levei uma menina pra minha sede.

Lá chegando, havia apenas um outro PP (o Penetra) e um Escudo, meu padrinho. Sorte a minha, senão teria perdido a garota. A dita cuja começou a beber, uma, duas, três ... oito latas de cerveja. Meu padrinho meteu o pé.

Surge uma cachaça e meu irmão lança a pilha errada: duvido você tomar um copo inteiro disso aqui...

Me aconcheguei num canto qualquer, apertei um, e fiquei assistindo a cena. Ela virou a porra toda, simples assim. E ao invés de arrotar, soltou a seguinte pérola: sou uma putinha e vocês querem se aproveitar de mim...

Engasguei de tanto rir. Nisso ela pega meu bagulho e dá um tapa. Meio surpreso eu perguntei: você fuma? Ela dá outro tapa e me responde antes de ir ao banheiro: tem sempre uma primeira vez...

Saiu do banheiro toda mijada, botou mais fumaça pra dentro e tentou em vão subir as escadas que levavam para o matadouro. Cafofo que ficava atrás da sede, carinhosamente assim apelidado. Ela sentava em um degrau, colocava as mãos no outro, e levantava a bunda, e assim foi até completar essa árdua missão.

Meu irmão olhou pra mim como que dizendo "toma que o filho é teu" e se mandou.

Coloquei a bicuda pra dentro, fechei a porta da sede e fui ver o que me esperava.

Ela havia fumado a porra toda e estava com os peitos pra fora querendo me agarrar. Desabou no chão, não conseguia ficar em pé. Se mijou de novo.

Tesão zero com aquela cena. Levei ela pra cama. Não pretendia comê-la, quem sabe ao menos um lanchinho...

Nada.

Ela não conseguia fazer nada. Era um peso morto rolando pelado de um lado pro outro.

Do nada, ouço o barulho da porta da sede se abrindo.

Na pressa coloco as calças sem cueca e desço as escadas. Me deparo com um escudo antigo, cara cascudo mesmo, protagonista de diversas histórias que ouvíamos enquanto PP.

Fudeu...

Então perguntei: vai dormir aí? Sem dizer uma palavra olhou pra mim como se dissesse: tá mesmo perguntando isso?

Fudeu, fudeu...

Tentando me safar de alguma forma, pensei em oferecer o peso morto pra ele, vai que se anima em dar umazinha antes de dormir. Só que nesse momento vi que ele estava acompanhando de uma mulher e uma criança. Então perguntei: elas vão dormir aqui com você?

Novamente sem dizer uma palavra olhou pra mim como se dissesse: tá de sacanagem PP?

Fudeu, fudeu, fudeu...

Então eu disse: ok, me dá uns segundinhos pra resolver uma situação. Ele nem respondeu.

Subi correndo, e comecei a cutucar a infeliz, enquanto me vestia. Ela começava a me agarrar e eu retrucava: filha, você num tá entendendo, a casa caiu, temos que rapar fora agora.

Acontece que a criatura estava pelada, de pernas abertas, não falava nada com porra alguma e mal conseguia se mexer.

Comecei a vesti-la de qualquer jeito mesmo. Puxei para fora da cama e ela deu com as costas no estrado. Parte de cima já foi. Desabou na cama de novo. Puxei de novo e mais um arranhão com as costas no estrado. Consegui vestir a parte de baixo.

Tirei ela da cama e larguei no sofá. Só que ela não perdia a mania de ficar com as pernas abertas. Nenhuma criança poderia ver aquela cena. Sem saber como tirar ela dali, liguei para o Penetra pedindo ajuda. O fiadaputa já tava no décimo sono, mas veio me ajudar.

Ele veio de carro. Fomos até aquele corpo estirado e ele me disse: segura no colo e desce as escadas. Como assim, falei, pega nos pés dela. Ele disse, não vou pegar porra nenhuma. Peguei pelas costas, com os braços no suvaco dela. Só que estávamos ambos suados e a menina foi escorregando. Comecei a rir até não aguentar e largar ela no chão.

Assim não vai dar, eu disse.

-Pega pela frente então.

Peguei pela frente e comecei a tentar descer a escada. Logo no primeiro degrau, não sei porque razão ela travou as pernas e eu não conseguia descer mais.

Nisso, o Escudo veio ver o que estava acontecendo e começou a rir. Cheio de bagulho nas idéias comecei a rir também e perdi a força. Cai na escada com ela em cima de mim.

Chorando de tanto rir, eu implorava: por favor, para de rir, senão eu não consigo.

Peguei ela de novo e começamos novamente a descer.

Mais uma vez a desgraçada empaca no meio da escada. Perdi a paciência e comecei a chutar suas canelas, para ver se as pernas se mexiam. O Penetra dizia: você está pisando nos pés dela. Foda-se, não quero nem saber, eu respondia.

Nisso chegou a mulher do Escudo e os dois caíram na gargalhada.

Perdi a força de novo e nos estabacamos escada abaixo.

Finalmente Penetra se compadeceu da minha situação e pegou os pés da menina enquanto eu segurava pelo suvaco e levamos até o carro. Naquela hora da madrugada, quem visse a cena não teria dúvidas que estávamos desovando um corpo.

Acontece que não conseguimos enfiar ela direito no carro, e eu, sem paciência alguma, dobrei as pernas dela pra cima, igual um frango assado e fechei a porta. Peguei um saco de lixo preto, para caso ela vomitasse e dei na mão do Penetra.

Vai esquartejar? ele perguntou.

Para de onda Penetra, entra nessa porra e vambora...

Na primeira esquina que viramos demos de cara com um carro da polícia interrompendo o trânsito e revistando os motoristas. Agora é que danou-se, pensamos. Dois indivíduos, um emaconhado e o outro com cara amassada de sono. Uma mulher desacordada no banco de trás, com as pernas dobradas pra cima igual frango assado. Um saco de lixo preto e grande. E, obviamente, ambos portando facas nada amistosas.

Paramos o carro alguns metros antes. Fingimos uma pane qualquer, abrimos o capô e rezamos. Rezamos para que ninguém viesse nos ajudar.

Coisa de 10 minutos depois rolou um tiroteio e os puliça se mandaram em perseguição. Aproveitamos a brecha e deixamos a garota em casa, devidamente entregue nas mãos do porteiro que disse: ih, relaxa, já estou acostumado...

O que aconteceu com ela não sei. Nem quero.

Voltei pra sede, trepei na bicuda e, no caminho pra casa, lembro-me de pensar, com satisfação:

- O Escudo não fala comigo, mas riu comigo...

Outros tempos...

For those about to rock...



RioBilly completa 4 anos de Rock´n´Roll e convida todos para comemoração em grande estilo!

A noite começará cedo e acabará tarde, para ninguém ficar de fora!

Local: Saloon - Rua Pinheiro Guimarães 79, Botafogo, Rio de Janeiro.

Data: 24 de novembro, quinta.


Horários:
21h abertura da casa e discotecagem
22h30 show
01h30 discotecagem
04h encerramento

No palco: HILLBILLY RAWHIDE (CURITIBA)!

Na pista: DJs Theddy-O & Tony Rocker
Rock´n´roll & Rockabilly

Ingresso: R$ 15 preço único

DOSE DUPLA DE JACK DANIEL´S!

FOR THOSE ABOUT TO ROCK.

ARQUIVO DO LEITOR: Estradas Brasileiras

Como sempre, as terças-feiras mais um Estradas Brasileiras, dessa vez do nosso leitor Rômulo em uma estradinha rural bem bacana perto da cidade onde mora, Ponta Grossa, Paraná, essa estrada liga a cidade até a localidade de Biscaia, e passa por alguns pontos turísticos (Buraco do Padre, Cachoeira da Mariquinha, Capão da Onça, Itaiacoca, etc.) São uns 30km de uma estradinha show de bola!


Pelo visto essa vale a pena visitar! Mas na Cachoeira da Mariquinha passo reto!!

Abs,

Big Chopper de la Frontera
fronterahd@gmail.com

Não se fazem mais carros como antigamente...




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...