quinta-feira, 28 de junho de 2018

Born Free 10.







Rolou no final de semana passado (23 e 24 de junho de 2018).
A quantidade de moto FODA por metro quadrado é imbatível!

Colani Egli MRD-1






Kawazaki Z1 - 1428cc.
Turbo. Nitro. 320hp.
Resultado: 330km/h
E um visual... discutível...

The Grizzly Ride out Invitational 2018




segunda-feira, 25 de junho de 2018

Dead Indian





A Polaris, empresa que controla a marca INDIAN MOTORCYCLES, anunciou a suspensão da importação e comercialização das Indian no Brasil. O motivo, segundo a companhia é a falta de rentabilidade do negócio.

De acordo com o comunicado divulgado, haverá um processo de transição de 120 dias para as concessionárias da marca. Esse tempo é para as revendas conseguirem se desfazer de estoque de motos, peças e outros itens.

A partir de agora, manutenção e pós-vendas serão atendidos em revendas Polaris, que vendem os UTV e quadriciclos da marca. A empresa vai credenciar também oficinas especializadas em motos de alta cilindrada.

“Não identificamos um modelo de viabilidade para a Indian Motorcycle no Brasil devido as atuais condições de mercado,  recrudescimento da economia brasileira, e a consequente redução da indústria de motocicletas. O nosso foco agora será maximizar os recursos no crescimento da marca Polaris e fortalecimento da rede de concessionárias off-road”, afirmou o diretor geral da Polaris Brasil, Paulo Brancalion.


Para mais informações, a Polaris coloca à disposição dos clientes o e-mail contatobrasil@indianmotorcycle.com e o telefone (11) 3336-5482.


***********


Por uma questão ética, vou me abster de opinar.

QUE PENA! Puta moto!








sexta-feira, 15 de junho de 2018

Sobre customizações, mosquitos e Nina Simone.

Repost de um texto de 2011, quando nego ainda lia...




"Estava aqui sentado vendo as estrelas saindo detrás do monte e sumindo nas telhas da varanda.

Eu tinha desligado o telefone com o Lobo. E fiquei pensando num dos assuntos que conversamos, as modificações que vamos fazendo nas motos à medida que o tempo vai passando.

Lembrei da primeira moto dele, uma das Sportsters mais bonitas e bem feitas, mas que seria impraticável pro que ele utiliza hoje. Na época fiz um comentário de que “a bike is supposed to be ridden”, a respeito de customizações bem bacanas que ele havia feito, mas que pra mim achava completamente sem propósito.

E como ele agora estava pensando em colocar um seca na Evo, uma das primeiras coisas que aconselhei na época que comprou a moto.

O cara agora está pegando estrada direto. É natural que queira colocar a moto o mais preparada possível pra isso.

Em cada fase da vida a gente vai adaptando a moto pras nossas necessidades.

A moto no fim acaba sendo mesmo uma expressão do dono. Se um cara tem a mesma moto a uns dois anos, dá pra conhecer um pouco dele só olhando pra moto.

Ali vai ficando, ano a ano, a cada fase da vida, nosso aprendizado.

A Carolina, minha CB 400, tinha um guidão da Custom (quase um mini-seca), um Highway Peg artesanal (que na época eu chamava "pedaleira de estrada"), e um sissy-bar (que na época chamava "santantonio"), que quebravam um galhão. Tinha também um descanso de pé de Águia, mas eram os anos 80, sabe como é...

Rodei mais de 200.000km nela. Ela era a expressão daquela fase da minha vida.

Acredito que customização é buscar referencias pro seu objetivo, mas no fim, é bunda no banco e pneu no asfalto que vão te dizer o que funciona pra você.

Por isso digo que os melhores acessórios que você pode colocar na sua moto são quilômetros.


Bom, os mosquitos estão me devorando, vou voltar lá pra dentro que Nina Simone está me chamando."




terça-feira, 12 de junho de 2018

Ari Frello



Tivemos o prazer de receber este incrível músico no Festival Moto Brasil de Jazz & Blues, no Salão Moto Brasil

Puta som, com personalidade. E uma figura muito especial.  

Valeu, parceiro Ari Frello

Tamo junto!

sexta-feira, 8 de junho de 2018

Breakout Campeã pelo Voto Popular - by Eric Nobre


A campeã pelo Voto Popular (onde o público presente ao Salão Moto Brasil escolhe a vencedora) foi a linda Harley-Davidson Breakout customizada por Eric Nobre, da Redlad Garage (Rio de Janeiro - RJ).

Apesar dos problemas com a votação da quinta-feira (dêem uma olhada no link: NOTA DE ESCLARECIMENTO BIKE & ART SHOW ), uma vez apurados os votos descobrimos que, mesmo que tivéssemos computado os votos de quinta, não haveria alteração no resultado: a Redlad foi indiscutívelmente a campeã pelo Voto Popular!

Deixemos o Eric explicar detalhes da moto:

"O projeto foi desenvolvido para um cliente que tinha como expectativa eliminar tudo que tivesse cromado na moto e trazer um ar mais “bandida” para sua HD. 

Porém, ele me deixou à vontade na escolha de tudo que faria parte do projeto, dentro da realidade do quanto pretendia gastar. 

Desde o início, idealizei um projeto que usasse o máximo possível de peças nacionais, para mostrar que é possível fazer um projeto de customização mais acessível, com recursos e fornecedores que temos aqui, com capacidade de atender com qualidade o mercado das HD’s. 

Foi feito um processo de desmontagem completa da moto, inclusive do motor, para fazer a pintura eletroestática em microtextura, pois a mesma possui um efeito diferenciado e sua durabilidade é superior as demais pinturas. 

Para a roupa da moto (tanque e para-lamas) foi escolhido um vermelho fosco acetinado. 

O para-lama e espadas foram cortados e o sistema de setas embutidos na espada e a lanterna no para-lama."

Parabéns, Eric. A moto ficou realmente muito linda, atendeu perfeitamente à proposta, e tenho certeza que o proprietário deve estar muito orgulhoso!








quinta-feira, 7 de junho de 2018

"Woodstock" - by Leo Dalla



A grande vencedora do Bike & Art Show 2018 pelo Juri Técnico (eleita pelos próprios customizadores participantes do evento) foi a Panhead 63 "Woodstock", feita por Leo Dalla, de Circumano Design (Vitória - ES).

As motos de Leo sempre surpreendem, seu background como artista plástico permite que ele "pense fora da caixa". 

Este ano Leo se superou: usou peças em marcenaria (nova "viagem" do artista), com um banco inacreditável, punhos, sissy bar e para-lamas, e um acabamento impecável. 

A pintura do tanque, realizada em conjunto com a artista plástica Sthephanie Corvett, usando diversas técnicas numa mesma peça, dá um toque ainda mais anos 70' ao projeto.

E detalhes, muuuuitos detalhes, a serem observados com calma.

Com vocês, a Grande Campeã do Bike & Art Show 2018 no Juri Técnico: "Woodstock", de Leo Dalla!

Divirtam-se!















segunda-feira, 4 de junho de 2018

NOTA DE ESCLARECIMENTO BIKE & ART SHOW 2018.





Lord of Motors, desde seu início, em 2008, sempre teve como objetivo principal difundir e popularizar a arte da customização de motocicletas no Brasil. 

Temos orgulho de ter proporcionado referencias a muitos customizadores nestes 10 anos de existência. Muitos que, lá atrás, buscavam em nós informações e "inspirações" hoje são profissionais renomados no mercado nacional. 

Em 2012, em parceria com o Salão Bike Show (hoje Salão Moto Brasil), lançamos as sementes do que hoje é considerado o "Campeonato Brasileiro de Motos Customizadas", o Bike & Art Show. 



No Bike & Art Show reunimos 12 customizadores CONVIDADOS, entre alguns dos mais respeitados do país. 

Os customizadores participam de um "concurso" para decidir qual foi a moto que mais agradou ao público presente ao evento. Essa decisão é feita pelo voto popular, em terminais digitais no próprio evento. 

Além deste "campeão" decidido pelo público, temos um outro "vencedor" do "concurso". Este é decidido pelo voto DOS PRÓPRIOS CUSTOMIZADORES. Cada customizador escolhe uma moto, que não seja a sua, de acordo com sua visão técnica (ou gosto pessoal): soluções de engenharia, referências históricas, inventividade, novidade... seja lá o que motive seu voto, cada customizador poderá escolher a moto que, para ele, profissional da área, mais chamou sua atenção. 



Este ano, tivemos um problema. 

O voto do juri técnico, feito pelos próprios customizadores, correu normalmente. 

Mas o voto do juri popular, no primeiro dia, deu errado. 

Por uma falha interna nossa, vazou um link fechado, que possibilitava que a votação do voto popular fosse feito através de celular, e não somente nos terminais digitais (tablets) disponíveis no evento. 

Tomei conhecimento deste fato na manhã do segundo dia do evento (sexta-feira, 01 de junho). Imediatamente bloqueamos o link. Mas a votação do primeiro dia (quinta, 31 de maio) já estava comprometida. 

Depois de muito ponderar as possibilidades de solução do problema, decidi, na qualidade de organizador e responsável pelo concurso, ANULAR a votação de quinta-feira. Zeramos o placar, e os votos valeriam a partir do segundo dia. 

A partir de então, o concurso correu sem maiores transtornos, com público somente podendo votar através dos terminais digitais, dentro do evento. 



Fazemos o Bike & Art Show com total transparência. Cada voto dado aparece imediatamente no telão, e o placar é atualizado em tempo real. Você vai ao nosso terminal, vota, e vê o voto aparecer no telão. O voto é atrelado ao CPF do "eleitor", e é virtualmente impossível alguém votar duas vezes. 


Não foi um ano dos mais fáceis para o Bike & Art Show. 

A greve dos caminhoneiros e a falta de combustível fizeram que tivessemos que adiar o evento, e nem todos os customizadores convidados, apesar de tanto esforço, puderam comparecer. 

Mesmo assim tivemos profissionais do Rio de Janeiro, Espirito Santo, Minas Gerais, Paraná e São Paulo, representando o que há de melhor no ramo da customização de motos do Brasil. 

A todos, meu mais sincero agradecimento. 

E perdão pela nossa falha. 


Fazemos o evento com total dedicação, cuidado, e transparência. Mas também somos sujeitos a erro, e tentei consertar da maneira que fosse mais justa para TODOS os participantes. 


Que fique bem claro, JAMAIS haveria interesse de prejudicar a quem quer que seja, muito pelo contrário. O objetivo, desde o início, é difundir e popularizar a arte da customização de motocicletas. Divulgar o trabalho dos profissionais do setor, e desenvolver o interesse do público pelo assunto. O que, de maneira inédita no Brasil, conseguimos com o Bike & Art Show. 


Obviamente estamos tomando mais medidas de segurança para o Bike & Art Show 2019. O que era um encontro de amigos que vivem as mesmas dificuldades profissionais, parece estar se transformando numa competição ferrenha pelo "título", e vamos nos adaptar a essa nova realidade.

 Isso não me incomoda, absolutamente! Pelo contrário, mostra que estamos atingindo nosso objetivo, despertar o interesse tanto dos profissionais da área, quanto do público. 


Nos vemos no Bike & Art Show 2019. 

Grande abraço a todos, 

Lord.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...